jump to navigation

Pacers encontra sucesso mesmo sem ir aos Playoffs 10/04/2009

Posted by Thiéres Rabelo in Artigo.
trackback

Jarrett Jack (Rick Havner - ASSOCIATED PRESS)Artigo escrito por Bob Kravitz, do jornal Indianapolis Star.

Tradução feita por Carlos de Medeiros Delcidio.

O número de vitórias não está nem perto do que Larry Bird e Jim O’Brien desejavam. Playoffs? Este ano eles não acontecerão. Eles podem estar matematicamente vivos mas o técnico O’Brien tem expressado há semanas que os playoffs são um sonho além do pensamento racional.

Mas mesmo assim…

Esta foi uma boa temporada. Uma temporada produtiva. Uma temporada de crescimento significativo.

Pela primeira vez em um longo tempo existe um sentimento de que os Pacers estão construindo alguma coisa, que os playoffs do ano que vem são facilmente alcançáveis se adicionarem mais gente, os jogadores permanecerem saudáveis e aprenderem a melhorar sua defesa.

Correndo o risco de parecer que eu “estou puxando o saco do Pacers” deixe me enumerar os fatos que levaram a franquia um passo a frente depois de anos de retrocesso.

O seu melhor jogador, Danny Granger, desenvolveu uma performance de All-Star nessa temporada. Ninguém menos que Reggie Miller disse que Granger era um daqueles jogadores conseguindo bons números em um time ruim, fato este que dificulta a presença de um jogador no Jogo das Estrelas. Porém os técnicos da liga discordaram e o colocaram no All-Star team, uma ação aprovada por muitos de nós.

Esta foi uma temporada de impacto. Não apenas uma temporada de All-Star, mas uma temporada que deverá levá-lo a uma séria consideração ao prêmio de jogador que mais evoluiu (MIP). Ano que vem, ele deverá retornar com o compromisso de ser o melhor defensor do time. E, como o presidente Bird mencionou recentemente, ele deve aprender a utilizar sua mão esquerda.

Os novatos, Roy Hibbert e Brandon Rush, receberam muitos minutos e mostraram sinais de que eles podem ser titulares por vários anos.

Hibbert progrediu mais rapidamente, o que é incomum para os pivôs em sua primeira temporada. Ele continua um pouco lento e atrapalhado; no garrafão, ele parece uma girafa praticando yoga. Mas ele possuiu o desejo e a ética de trabalho. E tamanho. Já falamos do tamanho dele?

Rush demorou mais e por um momento era comum se pensar se ele era outro Shawne Williams – sem a amizade com assassinos. Eu assistia o jogo e via no box score no outro dia e via que Rush jogou 14 minutos e eu nem lembrava de tê-lo visto na quadra.

E de repente um botão foi ligado. Nas últimas semanas ele saiu da concha e jogou como o bom ala-armador que o Pacers o draftou para ser. Dê-lhe mais um verão e mais experiência, ele será parte central da reconstrução do Pacers.

Dois anos, e nenhuma menção do caso de polícia.

Eu não menciono isso para ser impertinente. Eu digo porque é importante, muito importante. O atual grupo de Pacers não é formado por ótimos jogadores ou até mesmo jogadores muito bons. Apenas um deles, Granger, estaria entre os três melhores na liga em sua posição (Troy Murphy, que está tendo a melhor temporada da carreira, estaria na primeira metade). Mas eles são profissionais. Eles são confiáveis. Eles se ajudam mutuamente. Eles jogam duro e continuaram a jogar duro, mesmo quando a possibilidade de playoff acabou.

O público no Conseco Fieldhouse aumentou nas últimas semanas, e ele continuará a crescer enquanto o time adicionar jogadores e aprender a fina arte de parar alguém.

Durante toda temporada eu insisti que era melhor para o Pacers perder os playoffs e eu acredito ainda mais nisso agora do que no meio da temporada. Esse time não precisa da experiência de perder uma série de 4-0 para o Cleveland Cavaliers. Este time precisa de mais gente, especialmente uma presença de garrafão que os ajudará a dar um passo a frente.

Existem chances. Eles não vão fazer mágica no draft, ficando com a primeira escolha e escolher Blake Griffin de Oklahoma, mas apenas estar na loteria do Draft (entre os primeiros 14 times que escolherão) é melhor que não estar.

Uma coisa é ser o novo e ascendente time do Atlanta Hawks, que se beneficiou enormemente de levar o Boston Celtics a 7 jogos. Outra coisa é ser o Pacers, um time que vai terminar com mais ou menos 35 vitórias.

Eles possuem flexibilidade na folha de pagamento. Não muito. Não com os 7 milhões de Jamaal Tinsley na folha. Mas pelo menos eles estão se movendo na direção correta. Os contratos de Murphy e Mike Dunleavy serão obstáculos, mas pelo menos o contrato de Jermaine O’Neal foi embora. E talvez você tenha percebido, nenhum dos jogadores dispensados por Bird fizeram muita coisa pelos seus novos times.

Sem playoffs, sem grandes problemas. Esse é o melhor que muitos de nós temos sentido sobre o Indiana Pacers em muitos anos. E esse é um ótimo lugar pra se começar.

Anúncios

Comentários»

1. Marcus - 10/04/2009

Excelente artigo! Expressou quase tudo que eu penso!

2. CLAUDEMIR FERREIRA - 11/04/2009

BOLA PRA FRENTE PACERS,LEVANTA A CABEÇA
EXCELENTE ARTIGO MSM
TENHO ORGULHO DESSA FRANQUIA Q SEMPRE ADMIREI !!

3. FelipeGeyer - 11/04/2009

Perfeito.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: