jump to navigation

19 de Novembro de 2009 – Cinco anos da mais vergonhosa página da história Pacer 19/11/2009

Posted by Thiéres Rabelo in Artigo.
trackback


No pé da postagem, confira alguns vídeos sobre o acontecimento

Nesta quinta-feira (19) completaram-se cinco anos desde que Ron Artest e alguns membros do Pacers protagonizaram o episódio mais vergonhoso da história do clube: a briga de Detroit.

A briga pôs fim aos sonhos de uma das mais promissoras equipes que o Pacers já formou, a melhor que eu vi desde que acompanho o time. Entenda: na temporada anterior, sob o comando de Rick Carlisle, Indiana fez a melhor campanha em temporadas regulares de sua história, com 61 vitórias e 21 derrotas, sendo a melhor de toda a NBA. Com total favoritismo, o time chegou às finais da Conferência Leste, onde perdeu para o sensacional time do Pistons, que venceria o Lakers nas finais.

Na temporada seguinte, Atlanta e Indiana trocaram Stephen Jackson por Al Harrington. Jackson, excelente pontuador até o dia de hoje, encaixou-se perfeitamente no já bom time de Carlisle. Após oito jogos, onde o time venceu seis, ficava evidente que, naquela temporada, o favoritismo ainda se encontrava em Indianápolis.

A prova de fogo seria no nono jogo da temporada, quando ocorreria a viagem ao Michigan, onde Indiana enfrentaria o Pistons, seu algoz da temporada passada. E o Pacers passou na prova: venceu o jogo por 97 a 82, com destaques para as atuações de Artest (24 pontos) e Jermaine O’neal (20 pontos e 13 rebotes). Porém, a 45 segundos do fim do jogo, quando Ben Wallace infiltrou-se no garrafão para uma enterrada simples, Artest o empurra pelas costas, ainda no ar. Big Ben perdeu a cabeça e partiu para cima do então ganhador do prêmio de Melhor Jogador Defensivo da temporada anterior.

Artest, no primeiro momento, não foi para a briga e todos tentaram conter Wallace. Stephen Jackson, porém, queria briga, chamando, com os punhos fechados, Richard Hamilton para a briga. Hamilton o ignorou.

Quando se pensava que os ânimos haviam sido contidos, um torcedor arremessa no rosto de Artest – deitado na mesa de scorer – uma garrafa de água. Artest se descontrolou, levantou-se da mesa e pulou nas arquibancadas, à procura de quem lhe havia acertado. Iniciou-se assim uma das maiores e piores brigas da história do esporte.

Algum tempo depois, foi reconhecida a identidade do fã que arremessou a garrafa em Artest e ele foi banido do Palace of Auburn Hills.

O comissário da NBA, David Stern, comunicou, 48 horas depois, as suspensões aos envolvidos no embate:

– Artest suspenso pelo restante da temporada;
– Jackson suspenso por 30 jogos;
– O’neal suspenso por 25 jogos;
– Anthony Johnson suspenso por cinco jogos;
– Reggie Miller suspenso por um jogo;

As suspenções atrapalharam a temporada em curso. Um time que certamente se aproximaria ou até passaria das 60 vitórias, não passou de 44. Na pós-temporada, não contava com seu melhor defensor e simultaneamente, melhor jogador, pois também liderava a pontuação da equipe. Sem Artest e o mando de quadra, o time foi presa fácil para Detroit na semi-final da Conferência.

Outro dano que a briga causou no Pacers foi fora de quadra. Em 2005, a média de público no Conseco Fieldhouse era de 17 mil pessoas por noite. Nas temporadas seguintes, a média caiu drasticamente, sendo a pior da liga em 2007, com pouco mais de 12 mil pessoas por jogo.

O Pacers pós-briga

Nos anos seguintes à briga de Detroit, o Pacers chegou ao fundo do poço. Começando pela aposentadoria do maior jogador que já vestiu a camisa do time, Reggie Miller, em 2005. Na temporada 2005-2006, teve início a limpeza da equipe, onde todos os “vilões”, envolvidos ou não com a briga, foram mandados embora. Veja cada um dos movimentos:

– Em 2006, Artest foi trocado por Peja Stojakovic, do Sacramento Kings. Em comparação de jogadores, foi uma grande perda, mas Stojakovic sequer teve seu contrato renovado ao fim da temporada, o que deixou clara a verdadeira intenção da troca: livrar-se de Artest. A temporada foi a última em que Indiana esteve nos Playoffs, sendo eliminado na primeira rodada pelo New Jersey Nets;

– Em 2007, Stephen Jackson foi envolvido em um grande negócio, que o mandou para Oakland e trouxe Troy Murphy, Mike Dunleavy, entre outros, ao Pacers. Lá também Jackson teve problemas disciplinares e também foi trocado. Hoje, ele se encontra no Charlotte Bobcats;

– Em 2008, Jermaine O’neal foi envolvido em uma troca que o levou a Toronto e trouxe Roy Hibbert e Jarrett Jack ao Pacers. Por deficiência técnica, ele também foi trocado nos Raptors e hoje joga em Miami;

– Em 2008, Jamaal Tinsley foi afastado da equipe e um ano depois, por falta de interesse das outras franquias em uma troca por ele, ele foi dispensado e está hoje no Memphis Grizzlies;

Quatro dos principais jogadores do time à época foram dispensados. Era difícil de compreender o porquê de abrir mão de jogadores talentosos para que a imagem do time ficasse limpa, mas hoje compreendo o quão importante essa limpeza foi.

É certo que a equipe vem se acertando. Nesses cinco anos, nomes como Danny Granger, Mike Dunleavy, Roy Hibert e, o mais recente, Dahntay Jones, têm surgido com destaque na liga. Granger foi o primeiro jogador desde Jermaine O’neal a figurar no Jogo das Estrelas. Hibbert a cada dia se torna uma realidade entre os pivôs da liga. Trabalhando-se nos péssimos contratos em vigor de T.J. Ford, Dunleavy e Troy Murphy, os Pacers estarão completamente curados da grande ferida que foi a briga de Detroit.

Vídeos

Anúncios

Comentários»

1. Marcus Vinícius - 19/11/2009

Essa noite mudou todo o futuro da franquia!

Lamentável demais! Time muito forte, defendia muito!

Mas vejo nessa temporada um time que vem forte…Não sei aonde vai chegar! Mas vai surpreender!

2. tiagoxed - 19/11/2009

Eu tava vendo o jogo ao vivo, foi uma merda msm. Ate hoje nao me conformo com o David Stern, o cara de pau nao puniu como deveria a equipe do Pistons. No minimo deveria ter perdido o mando de quadra durante a temporada.

Abs

3. Thiéres "Tio" Rabelo - 20/11/2009

Não acho que ele tenha sido injusto nas punições. O único Piston que errou foi o Big Ben, iniciando a briga. De resto, quem subiu nas arquibancadas para bater nos torcedores foram Artest, Jackson e O’neal.

Esse time seria campeão…

4. tiagoxed - 20/11/2009

Controlar a torcida eh dever do time de casa. Um copo jogado na quadra segundo a regra eh falta tecnica do time da casa. Houve invasao da quadra pelos torcedores, nao havia seguranca, varios objetos foram jogados nos jogadores do indiana.. Nao foi injusta a punicao aos jogadores do Pacers, mas foi parcial. Nao puniu todos que mereciam

5. Thiéres "Tio" Rabelo - 20/11/2009

O Pistons certamente recebeu multas pesadas. O cara que jogou a garrafa foi banido do Palace e certamente respondeu a processo. Só que não tem como punir os caras que tacaram refrigerante, cadeira, pipoca, etc. Os seguranças e policiais da arena não estavam preparados para a loucura do Artest, mas levaram os jogadores do Pacers para o vestiário em pouco tempo.

6. Julio Montanha - 19/06/2010

Na minha opinião tudo foi culpa do ben wallace. Incrível q ele não tenha tido a mesma punição do Ron Artest.

7. erico1 - 04/01/2011

Muito completa a matéria, lembro muito bem desses acontecimentos.. =/


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: